Apotheke | A cura de todos os males

24 set

Gente, hoje vou ser breve. Vou dar apenas uma dica de um lugar que vocês TEM QUE IR quando estiverem em Nova YorkÉ a farmácia dos tempos modernos, o oásis para quem sofre de males como dor de cotovelo, excesso de preocupação ou falta de entusiasmo.

Estou falando de um lugar chamado Apotheke e fica no meio de Chinatown. Minha experiência para chegar até lá não foi das melhores: peguei o metrô e caminhei, caminhei, passei por barraquinhas de comida, fumaça de churrasquinho de gato, becos sombrios, caminhei e caminhei pra chegar até lá. Mas deve ter alguma maneira mais fácil – eu é que fui mão de vaca e resolvi me aventurar.

Chegando lá, você só identifica a existência do lugar devido à uma pequena fila que se forma em frente. Não tem placa, não tem barulho, não tem flashs… Só tem um simpático (mais ou menos) rapaz de uns 30 e vários anos dizendo para quase todo mundo que só é possível entrar com reservas. Depois de ser legal e usar o argumento ‘somos brasileiras e nosso sonho era vir aqui’, James, o tal indivíduo da porta, nos deixou entrar.

O lugar é pequeno, acredito que para não mais de 100 pessoas. E tem um clima meio escurão, meio antigo. Mas só o clima. As pessoas todas jovens e ‘normais’. Eu falo normais porque ninguém tinha cara de celebridade ou de herdeiro bilionário, e também ninguém me parecia super hipster ou vanguardista de alguma forma. Acho que era todo mundo meio gente como a gente (como eu, quero dizer).

Image

A música era demais! Foi de The Killers até Tati Quebra Barraco, mas sempre bem dançantes e animadas sem ser aquele tuntz tunz chato pra caramba (que me perdoem os amantes de música eletrônica, mas simplesmente não consigo dançar depois da terceira música).

E o melhor ainda estava por vir! As receitas médicas (prescriptions). Sim, porque na Apotheke, que para quem não sabe significa Farmácia em alemão, não tem menu nem carta de bebidas. Tem receitas médicas, onde você pode dizer se está precisando de um estimulante, um analgésico, relaxante, afrodisíaco e por aí vai.

Image

O meu favorito da noite foi um relaxante, o Buda alguma coisa (sério que vocês esperavam que eu lembrasse do nome?), que tinha um pouco de abacaxi, um pouco de gengibre e alguma coisa mágica que me fez amar o lugar e querer voltar.

E antes de me odiar e dizer que minha dica é inútil, que vocês estão longe e aquela coisa toda, eu quero me defender: minha intenção maior ao escrever sobre esse lugar é mostrar como é possível fazer algo diferente com um negócio tão antigo e tão comum quanto um bar. Bastou a cabeça aberta e um bom esforço de marketing pra criar esse conceito tão interessante. Você entra em um bar e de repente se sente convidado a se desprender do que mais lhe incomoda no momento. O bar vira divã de terapia, o bartender seu fiel conselheiro e aquele drink lindo, um investimento. O nome combina com o ambiente, que reforça o mix de produtos, que deixa a proposta única de venda redondinha.

Pronto. Relação estabelecida, coração conquistado, vou ter que voltar.

(posto por Jeana Mattei)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: