As dez lições que eu aprendi com Oscar Niemeyer

6 dez

Niemeyer

Ontem, aos 104 anos faleceu, o fofo Oscar Niemeyer. Me permitam chamá-lo assim, logo vocês vão entender. Eu poderia elencar mil lições arquitetônicas que ele deixou, poderia falar de Brasília, de seus monumentos, que sempre tinham um fundo de protesto, poderia falar de como ele explorou as possibilidades plásticas do concreto armado e revolucionou a arquitetura, também poderia falar de seu legado e de como ele levou o nome da arquitetura brasileira para o mundo todo. Mas não. Mais do que um mestre da arquitetura, sempre considerei-o um mestre na arte de viver. E é sobre essas lições de vida que eu quero falar hoje.

Lição número 1:

‎”A vida é importante; a Arquitetura não é. Até é bom saber das coisas da cultura, da pintura, da arte. Mas não é essencial. Essencial é o bom comportamento do homem diante da vida.” Substitua arquitetura por qualquer outra profissão. Não deixe seu trabalho te sufocar, te impedir de viver, de aproveitar a vida. A vida bem vivida com dignidade e honestidade, os amigos, o amor, os sorrisos são mais importantes do que todo o resto.

Lição número 2:

“A vida é assim. A gente tem que separar as coisas. A vida é chorar e rir a vida inteira. Aproveitar os momentos de tranquilidade, e brincar um pouco. Depois os outros, aguentar. A vida é um sopro.” Frase linda né? Os momentos tristes fazem parte da vida, como os felizes. Saber aproveitar os momentos, cada um com a sua dimensão, com a sua importância, isso é saber viver com leveza. Como ele dizia: “a leveza é o caminho da fé.”

Lição número 3:

No documentário “A Vida é um sopro” José Saramago afirma que “Niemeyer nunca renunciou aos seus princípios, a sua humanidade e por isso é uma pessoa que está em paz consigo mesmo, e estar em paz consigo mesmo não é fácil” Ser fiel a seus princípios pra viver em paz. Parece simples, mas não é. Logo depois desta frase Saramgo diz: “No fundo vivemos num temporal e manter o rumo no meio deste temporal, com ventos que sopram de todos os lados, isso Oscar conseguiu.” Seja fiel ao que você acredita, mesmo quando o mundo tenta te convencer do contrário, porque o melhor travesseiro é a consciência tranquila e a paz de espírito.

Oscar Niemeyer

Lição número 4:

“Na minha idade, tem que se ocupar. Não se pode ficar parado num canto. Tem que chamar os amigos para conversar, discutir, fingir que é moço, vivendo e participando” Ocupar a mente, evitar a ociosidade, se ocupar em viver. Entendeu agora porque ele viveu 104 anos com saúde e felicidade?! Vale acrescentar que ele casou as 94 anos. Se ocupando com o amor. Isso é que é vitalidade.

Lição número 5:

“Feliz? Sim, de tempos em tempos. Sou feliz, como todo mundo. Mas quando se olha em torno e vê a miséria do lado, não se pode ser tão feliz assim.” Ninguém é uma ilha e é preciso reparar nos outros, na vida dos outros e auxiliar sempre, mesmo que pouco, cada um pode ajudar a sua maneira. Quando eu falo de ajudar eu me refiro a auxiliar quem está próximo da gente e muitas vezes passa por dificuldades (físicas, emocionais, financeiras e etc.) e a gente nem nota porque vive preocupado com a nossa própria felicidade. Mas vou te contar um segredo: Quando você sorri para o mundo, o mundo sorri de volta e tua felicidade se multiplica.

Lição número 6:

“Mal nascemos e começamos a morrer. Não viva sua vida como se fosse o último dia. Viva como se fosse o primeiro.” Falou o cara que viveu 104 anos como se todos os dias fossem os primeiros. Talvez esse seja o segredo.

Lição número 7:

“Minha circunstância compreenderia o homem no seu universo, lutando pela sobrevivência, rindo e chorando como a vida obriga, inquieto diante do seu destino. Esse é o drama de todos nós. O resto – sucesso, poder, etc. – são detalhes que o tempo consome.” Não vamos nos matar pra conseguir todas essas coisas que o tempo leva. Vamos viver com mais calma e tranquilidade, aceitando o que não dá pra mudar e mudando o que não dá pra aceitar.

Lição número 8:

“Aproveitei minha oportunidade. Alguns reclamam não ter nenhuma. Mas toda oportunidade é uma faca de dois gumes: ou você resolve bem o problema que lhe é posto, e a multiplica, ou, então, se lhe faltarem condições, é até pior.” Baita lição. Tem gente que diz que quando tiver uma oportunidade tudo vai mudar. Oportunidades podem ser criadas, aproveitadas e revolucionadas. Ou não. Só depende de você.

Lição número 9:

“É preciso sonhar. Sem sonhar um pouco a realidade nos esmagaria.” Sonhar, acreditar e lutar. Essa é a ordem. Sonhar é tão necessário quanto lutar para os sonhos se realizarem.

Lição número 10:

“Só faço o que gosto e acho que cada um deve fazer o que quer. É um modo de vida.” Se todos fizerem o que gostam, e além disso souberem respeitar o modo de vida do outro (afinal, o outro também está fazendo o que gosta, que pode ser diferente do que você gosta), a vida vai se tornar muito melhor.

Entenderam agora porque eu o chamei de fofo? Um cara sábio, humilde e corajoso. Essa foi a nossa simples homenagem ao mestre da arquitetura e da vida.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: