Arquivo | Viagens RSS feed for this section

Disney para crianças crescidas | Parte II

18 jan

Já leu a primeira parte do post? Leia aqui! Bom, agora que você já está dentro do complexo Disney (se depois de todas as dicas do post anterior você não estiver pelo menos perto, você nem merece continuar lendo isso aqui) vamos às atrações!

MagicKingdom

Magic Kingdom

Nem só de princesas e contos de fadas vive o Magic Kingdom… Se bem que isso não seria uma má ideia. Mas se você acha que é crescido demais pra isso e quer pular essa parte, eu sugiro que vá para a Frontierland. Uma parte do parque meio faroeste onde ficam duas das minhas atrações favoritas: a Splash Mountain e as melhores Turkeys Legs do mundo. Dica pra Splash Mountain: quanto mais pesado estiver o seu carrinho, mais divertido porque salta mais água. Então cole na fila com os gordinhos. E deixe pra comer a Turkey Leg depois… Vai que…

AnimalKingdomEntrance

Animal Kingdom

Imperdível mesmo é a Everest, melhor montanha-russa da Disney. O Safári é bem divertido e dá até para fingir que se está mesmo na África. Mas num dia quente de verão, não deixe de passar pelo Kali River Rapids, um passeio por um rio ‘com muita correnteza’ onde ou você se molha ou alguém te molha (sempre tem um desgraçadinho em cima da ponte com aquelas armas de água apontando pra tua cara).

HollywoodStudios

Hollywood Studios

Tower. Of. Terror. Apenas essas três palavras. Se você tem um pouco de amor pela sua vida, evite. Dá MUITO medo e se alguém falar o contrário, é tudo mentira. Mas para compensar o medo, um dos melhores restaurantes do complexo também está ali: o Hollywood Brown Derby. Cara de antigão, bem old fashioned, mas a comida é surpreendente. Vale cada centavo e é uma ótima opção pra fugir um pouco dos lanches. Continue lendo

Vamos jantar no banheiro hoje?

16 jan

Quando falamos em comer em um lugar nojento podemos dar várias conotações a essa frase: falta de cuidado no preparo dos alimentos, apresentação dos pratos ou conservação dos mesmos, pela falta de limpeza do local ou até, por parte das grosserias dos funcionários. Diz o bom senso, a higiene e minha mãe que banheiros não são o melhor ambiente para fazer refeições. Bem, eu concordo. Mas, ao que parece, nem todo o mundo concorda com isso, os clientes do Modern Toilet, principalmente. Lá a decoração e os utensílios são inspirados em um banheiro. Isto mesmo!

modern toilet

Continue lendo

Disney para crianças crescidas | Parte I

7 jan

Atendendo a pedidos de uma certa criança crescida que eu conheço (não vou citar nomes, tá Fran?), resolvi falar um pouco de Disney para aqueles que querem um pouco mais do que um parque temático. Eu devo salientar que vou falar só um POUCO mesmo, porque esse é um assunto que eu amo e posso facilmente ficar três anos falando só disso. E já aviso que não vai caber tudo em um post, então faremos uma versão em capítulos.

Imagem

O primeiro #DisneyFact desse post é que Disney é um lugar para todas as idades. Ou você gosta da Disney ou você é um talibã. Ou tem problemas psicológicos. E eu não me importo se estou sendo preconceituosa, minha lógica é muito simples: não confie em pessoas que não gostam da Disney.

O #DisneyFact número dois é: aquelas pessoas que administram o parque (eu vou chamar de parque só porque fica meio feio falar ‘o lugar mais feliz do mundo’) sabem que é um lugar para todas as idades, portanto, eles criam atrações para todas as idades e adaptam isso ao longo do tempo. Então vá com fé, você não vai ficar sem o que fazer. Continue lendo

Lista de sobrevivência #1 – Frio em NY

20 nov

Encarem como um refresco para o verão senegalês que invade o Brasil ou como um guia na hora de programar uma viagem de férias.

Fiz uma lista com dez itens de necessidade básica para sobreviver ao longo, lindo e melancólico inverno de Nova York. Continue lendo

Colaboração | Residência artística, itinerante e gratuita.

3 out

Acordei num dia ‘do bem’. Não de bom humor nem muito feliz/satisfeita com os mais diversos aspectos da vida. Apenas ‘do bem’. Em outras palavras, tentando transformar algumas frustrações pessoais em vontade de fazer coisas boas para outras pessoas. E procurando uma maneira de fazer isso, eu comecei a perceber uma vontade similar em outras pessoas.

E vai lá, não estou falando de assistencialismo nem de caridade, o que também poderia ser um bom tema. Estou falando dessa aura de colaboração que eu vejo tomando conta da Geração Y. Não como numa atitude de ‘vou fazer um favor para você’, mas num movimento que parece gritar ‘estamos todos juntos neste barco, então vamos fazer juntos?’.

Pode parecer uma grandessíssima bobagem, mas a cooperatividade está deixando de ser tendência para se tornar um estilo de vida já solidificado. Quando li sobre a Awesome Foundation, lembrei de um projeto que começou há pouco tempo aqui em Nova York, com a iniciativa de artistas brasileiros. É um projeto chamado Residência Temporário (assim mesmo, sem concordância).

Image

A Temporário é um projeto criado por artistas independentes, que se mantém com a ajuda de patrocinadores. Funciona mais ou menos assim: alguém oferece moradia a um artista de passagem por Nova York, São Paulo, ou qualquer outra cidade. Este artista se encarrega do cuidado e manutenção da residência e ainda recompensa seu ‘anfitrião’ com algumas de suas obras no final de sua estadia.

A ideia principal é que imóveis em desuso sejam aproveitados como um espaço de expressão criativa, experimentação e convivência. O projeto mantém portas bem abertas para curadores, artistas iniciantes e propostas experimentais, pois a ideia é justamente trocar ideias e experiências relacionadas à arte, incentivando a produção artística aqui e no Brasil.

Não posso negar que o projeto parece confuso e um pouco inconsistente em alguns aspectos, o que provavelmente vai se moldando melhor com o tempo. De qualquer forma, acho sensacional uma iniciativa que tem como objetivo simples e puro fomentar a arte.

Por fim, fica o recado: se você está aí sentado no sofá pensando no que fazer pra deixar esse pequeno pedaço de terra no qual vivemos mais legal, vou lhe dizer só uma coisa: quem procura acha, quem quer faz acontecer.

Para mais informações sobre A Temporário, acesse o tumblr deles.

(Post por Jeana Mattei)

Sugar Town

10 set

Estados Unidos por si só já é um lugar de gordo, pronto, falei. Nova York em especial. Acho que aqui todo mundo tá tão ocupado tentando sobreviver, que só viver entra em segundo plano. Ou seja, a alimentação básica do nova iorquino comum é feita com coisas que se possam comer com as mãos e, de preferência, andando: pizza, hambúrguer, pretzel, donuts, bagels, muitos bagels. Portanto, acostumem-se: muitas das minhas dicas de entretenimento vão envolver comida., tanto por que vejo muitas opções diferentes aqui, quanto porque sinto falta do meu amado PF (prato feito de arroz, feijão, salada e bife para os íntimos).

E a dica dessa semana é um lugar muito amado e aclamado de Nova York, a Magnolia Bakery. A história da fama desse lugar começou quando Carrie Bradshaw (Sarah Jessica Parker), em um dos episódios de Sex and the City, entra na charmosa lojinha e pede um cupcake. Dizem ter iniciado aí também a febre dos cupcakes, que dura até hoje.

Magnolia Bakery

Mas enfim, entrei no lugar com o pé atrás, achando que era só mais um lugar da moda que, na verdade, nem é tão bom assim. Passando a porta, mudei de ideia. O lugar é a coisa mais amada da vida: pequeno, simples e com uma cara de feito em casa (mas numa casa muito rica). Tons pastéis, xadrezinho, móveis de madeira de demolição… uma graça mesmo! Entrei na fila e não sabia bem pra onde olhar – além dos cupcakes, tem tortas, bolos, cheesecakes e outras tantas delícias que nem me dei o trabalho de anotar o nome. E eles são muito espertos, porque você pode comprar por unidade (cerca de $3,50 cada cupcake), mas eles já chegam com uma caixinha que cabe dois perguntando quais os sabores. E acredita em mim, você vai querer os dois.

Continue lendo

Cinco coisas para se fazer em São Paulo

6 ago

São Paulo, a terra da garoa, a capital financeira do Brasil, o berço do café pingado e do pão na chapa, o lugar do trânsito infernal com a maior mistura cultural, gastronômica e econômica do Brasil. O que fazer quando se está em São Paulo? Eu vou dar cinco dicas para vocês, baseadas nesse meu último fim de semana.

Continue lendo

%d blogueiros gostam disto: